Primeiras Impressões: [Livro] Sombras do Medo

Hey, leitores e leitoras! Como vão?

Eu sei, eu sei, demorei demais para fazer a segunda postagem desse Mês Nacional e Top Comentarista, mas problemas surgem e não há nada que eu possa fazer, a não ser dizer o meu sincero sinto muito. E falando em demorar, estou para fazer essa postagem há algum muito tempo, então já quero me desculpar com a Camila Pelegrini também, porque ela é um amor de pessoa e eu não estou sendo tão amor quanto deveria. Vou tentar melhorar! O caso é que ela me enviou os três primeiros capítulos de Sombras do Medo, o seu primeiro livro que foi inicialmente publicado pela Garcia Edizione e, agora, está sendo publicado pela Editora Arwen.


Em um futuro pós destruição em massa, provocada pelas guerras humanas e desastres naturais - para os quais os humanos também contribuíram grandemente - o mundo é dividido em 5 grandes regiões. Em cada uma delas vivem ordinários e singulares, pessoas com ambições completamente diferentes. Estes dominam o mundo. Aqueles tentam tão somente sobreviver. 
E ao viverem dessa forma, a bondade beira à extinção. O caos reina em seu lugar, despertando forças malignas que há muito esperam para serem alimentadas.

A Terra não é mais a mesma. Com todas as guerras e os desastres, os recursos naturais foram se esvaindo até que não restasse muita coisa além do calor intenso. Mas uma coisa que não mudou foi o poder. As pessoas mais poderosas são chamadas de singulares; são elas que controlam tudo, a distribuição de água, o que cada um deve fazer. A elas foi dado o controle do mundo, agora dividido em cinco capitais. O restante da população é conhecida como ordinários, trabalhadores que vivem sem a liberdade que um dia tiveram. E como se toda essa desgraça não bastasse, algo sombrio e obscuro envolve o planeta.

É nessa realidade que Anabele vive - ou pelo menos sobrevive -, sendo uma ordinária e adormecendo enquanto olha as estrelas, contudo ultimamente o sono dela era inquietante. Assim como várias pessoas, estava tendo pesadelos recorrentes, e isso era assustador. Uma dessas pessoas era Henry Winch, o forasteiro por quem Anabele tinha uma relação de amor e ódio, e que vive se metendo em confusão - um cara que tem muito mais para se descobrir do que até onde eu li, porque a única coisa que eu sei até agora é que ele é difícil de se desvendar.

Amanda, a mãe de Anabele, também tem esses pesadelos. Ela faz parte da geração que está vendo a Terra ser destruída aos poucos. Sua filha, pelo contrário, nasceu num período de transição; em sua infância, apesar de a vida não ser perfeita, já que nunca é, era muito melhor do que é agora, e Amanda tinha um grande ressentimento ao se lembrar da época em que o mundo ainda era dividido em países, e não cercado por muralhas para separar os pobres dos ricos.

Alguns ordinários estão sumindo, e eles culpam os singulares. Afinal, não são eles que sempre lhes fazem trabalhar até a morte? Mas não, não são os singulares os responsáveis por esses sumiços. Até eles tinham pesadelos. Uma sombra estava cobrindo a Terra como se as muralhas estivessem aumentando. O frio que atravessava os ossos era apenas uma consequência. Um grito não humano foi ouvido e, depois disso, tudo o que se via era uma escuridão profunda.

Caramba, essa foi difícil! Escrever essas primeiras impressões me deu um trabalho que só, mas estou satisfeita com o resultado. O livro é narrado em terceira pessoa, cada capítulo focando com uma personagem. Decidi não apresentar a vocês as personagens do terceiro capítulo, que fala sobre os singulares, porque é muita informação, e se foi difícil escrever sem as personagens, imagine só com elas. Aliás, deve ter sido uma história bem complicada para transformar em palavras. Enfim. Achei bastante interessante o modo como a Camila decidiu narrar o livro, já que podemos ver a história de diversas perspectivas e mergulhar em todo o universo que ela criou. Li as primeiras páginas sem a correção da editora Arwen e posso dizer que a escrita da autora é ótima. Se achei alguma coisa foi, tipo, meia vírgula esquecida e nada mais.

Sobre a história, vamos começar entendendo uma coisa: Quando eu decidi receber as primeiras páginas, eu só quis porque tinha lido uma resenha de Sombras do Medo e não tinha me interessado pela história. Mas hein? Pois é. Eu li a resenha e não gostei, porém decidi me dar a oportunidade de conhecer melhor o livro da Camila Pelegrini. Acho que, pelo fato de a história ser muito complexa, eu acabei achando a resenha confusa, só que distopia é distopia e eu sou apaixonada pelas críticas feitas por elas, mesmo que essa seja uma distopia fantástica. Apontando o dedo para os erros cometidos pelo ser humano, Sombras do Medo me conquistou já pelo prefácio e pelo prólogo. Se vocês lerem, gente, vocês vão pensar no porquê de vocês não terem pensado naquilo antes. É fantástico. A história é fantástica. Parei de ler num momento em que eu não queria ter parado de ler, porque foi ali, no fim do capítulo três, que a autora jogou a lenha na fogueira. Eu adorei e quero muito continuar lendo.

A única coisa que fiquei meio ponto de interrogação foi a Anelise ver as estrelas. Okay, não chove e tem muito sol, o que significa que o céu está limpo, só que não faz tanto tempo que o planeta está morrendo, e se tinha poluição e destruição em massa, provavelmente bombas e mais um monte de coisas que o ser humano caga faz errado e polui tudo... como é que ela consegue ver as estrelas? Mesmo que ela more no interior da vida. Na minha visão, ela não veria estrelas. De qualquer forma, acho que esse é só um detalhe.

De primeira, achei a capa do livro estranha. Aí eu fiquei com medo. Depois eu olhei bem e pensei, "um cachorro!" "dementador- polvo-gárgula-dragão!" "o vestido da moça está rasgado!" "essa capa está é muito legal!". E está mesmo, principalmente esse título que eu achei de arrasar e esse dementador-polvo-gárgula-dragão que me deu um medo do caramba. Então a primeira e única parte que eu vi do trabalho da Arwen foi aprovada por mim! O que pode não ser grande coisas para você, mas a minha opinião é tudo o que eu tenho.

Se você gosta de distopia, dê uma chance para Sombras do Medo. Se você gostou da história, dê uma chance para Sombras do Medo. Se você não entendeu as minhas primeiras impressões mas acha que Sombras do Medo tem potencial, dê uma chance para Sombras do Medo. Você não vai se arrepender. Pelo que eu posso dizer, pelo menos não até o capítulo três. Vamos lá, porque pensar sobre questões ambientais com fantasia é sucesso.

Então é isso, galere! Espero que tenham gostado das minhas primeiras impressões sobre o livro da Camila. Deixe sua opinião nos comentários.
Prometo que vou tentar trazer mais postagens para vocês, tipo assim, todos os dias.
Beijinhos e - vou arriscar um - até amanhã!

Karoline Melo

10 comentários:

  1. Bem Karol!
    Como gosto de distopias e achei essa bem diferenciada, não apenas por ser de fantasia, mas por trazer um enredo diferenciado, daria uma chance a leitura do livro.
    Valeu suas primeiras impressões.
    “Sonhar é acordar-se para dentro.” (Mario Quintana)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Rudynalva!
      Também achei o livro bem diferente das demais distopias que eu já li e/ou conheço. Fico feliz por ter gostado <3
      Beijinhos.

      Excluir
  2. Nossa curti a premissa do livro adoro distopias e nacional ja me deixa mais animada essa capa tbm ta muito legal e sejamos sinceros nao e tao distopia assim do jeito q as coisas vao indo

    http://estilodenerd42.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Naiara!
      Que bom que você gostou da premissa do livro ♥ Também adoro essa evolução que estamos tendo na literatura nacional, o reconhecimento e tudo o mais. É, não é tão distopia assim do jeito que as coisas andam. Você está mais do que certa! Mas o que podemos fazer é ler esses livros incríveis, recomendar para as pessoas e tirar bons ensinamentos deles. Talvez, assim, nós consigamos salvar o mundo.
      Beijinhos.

      Excluir
  3. Fiquei apaixonada por todo o capricho e honestidade das suas primeiras impressões! Obrigada, e espero que aprecie toda a leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heeey, Camila!
      Fico super feliz por você ter gostado das minhas primeiras impressões ♥ Tentei explicar a história da melhor maneira possível e ser honesta em relação a minha opinião. E eu que agradeço!
      Beijinhos.

      Excluir
  4. Confesso que não gostei muito da capa haha mas como eu não li o livro talvez não entenda.
    Gosto muito de distopia e essa parece ser interessante. Como você disse deve ser um quantidade enorme de informações na primeira leitura, e só de ler suas primeiras impressões já estou "cansada". Muito legal esse seu ponto das estrelas. Será que a autora explica mais pra frente?

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Patrícia!
      Poxa, que pena que você não gostou muito da capa, hahahah. Não acho que o livro é necessariamente "cansativo", é só muito bem trabalhado; você vai demorar um tempo para associar as coisas muito bem, hahaha, mas a leitura vale muito a pena. Adoro esses livros que nos fazem pensar. Fico contente por você ter gostado do meu ponto em relação a estrelas. Não sei se a autora explica, mas espero que sim!
      Beijinhos.

      Excluir
  5. Oi Carol, tudo bem?
    Eu já vi a Camila pelas redes sociais e ela parece ser uma fofa né?!
    Acho eu, que essa foi a primeira obra dela que eu vi e por sinal, estou muito louco de vontade de ler.
    Suas primeiras impressões me passaram uma imagem de um livro que pode ser mais do que promete, então só preciso ler ele urgentemente (haha).
    Já a capa, eu achei ela bonita, achei que está com um visual simples, porém chamativo, gostei do resultado.
    O genero me agrada bastante pois eu amo distopia e adoro fantasia, com certeza iria amar a história!
    O nome do livro é algo que já entrega um pouco o que vai acontecer caso você leia uma resenha.
    Beijão,

    Vinicius
    omeninoeolivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei da premissa, adoro distopias. Eu as vejo como um alerta... Eu, nosso mundo vai ficar assim se não cuidarmos dele.
    Eu acho que é normal ter dificuldade de falar sobre opinião quando se trata de um livro um tanto complexo.
    Eu gosto disso. Leituras fáceis e sem preensão são boas, mas precisamos ousar.
    Eu quero ler este livro e sua resenha foi a culpada.
    Beijo

    ResponderExcluir