[Livro] A Mais Pura Verdade


Autor (a): Dan Gemeinhart
Editora: Novo Conceito
Categoria: Aventura, Câncer, Vida, Metáforas, Reflexões, Quase Tudo, Chorei Mesmo

A Mais Pura Verdade - Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça.
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

*Livro físico cedido em parceria com a Editora

Mark é um garoto que decidiu fugir de casa, levando consigo o seu cachorro e melhor amigo, Beau, uma máquina fotográfica, equipamento de alpinismo,  caderno e caneta, passagem de trem - só de ida - e remédios. Seu destino eram as montanhas. Tudo isso começou quando o seu avô, que era um grande escalador, contou-lhe sobre suas aventuras, deu-lhe livros e, assim, incentivou o menino a querer escalar uma montanha, mais precisamente o Monte Rainier. Mark ficou encantado e isso se tornou sua paixão secreta, e só Jessie sabia.


Jessie e Mark são melhores amigos desde o jardim de infância. Eles cresceram juntos e têm uma amizade linda; contam tudo - absolutamente tudo - um para o outro, coisas que não contam para mais ninguém, seus maiores segredos. Em meio ao desespero da família de Mark para encontrar o garotinho doente, sim, doente, pois Mark tem câncer, Jess viu o bilhete que seu amigo lhe deixara. Ele com certeza deixaria um bilhete para ela, não poderia simplesmente partir sem mais nem menos. E foi aí que ela descobriu para onde ele foi, e tinha que guardar o seu segredo, o que, para ela, era a pior parte, principalmente por ver todo o desespero da família e a busca dos policiais. Aquilo estava em suas mãos.

Apesar de bem novo, Mark é um garoto muito esperto e metafórico, e eu me identifiquei bastante com ele, o que fez a leitura ser ainda mais profunda. As frustrações dele me deixavam frustrada e eu chorava quando ele queria chorar, eu sentia o que ele sentia, apesar dos conflitos, apesar de eu não entender o que é estar morrendo - mesmo que nós estejamos morrendo a partir do momento em que nascemos, ou ainda antes; é diferente. Ele é uma pessoa tão forte, tão batalhadora, que eu me senti podre por não estar vivendo e só chorar por tudo e qualquer coisa. A vida não é tão ruim assim, essa é a mais pura verdade.

(Não vou me prolongar muito porque eu já falei sobre o livro nas primeiras impressões, que você pode conferir clicando aqui.)

A história é basicamente a trajetória do menino doente até o seu objetivo, escalar o Monte Rainier, e nesse meio tempo nós descobrimos mais sobre a sua amizade com Jessie, a sua doença, sua relação com a escola, com Beau e com seus pais, conhecemos novas personagens tanto encantadoras quanto detestáveis, e entendemos - ou tentamos entender - a sua mente. Durante essa aventura, qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento. Em algumas partes, não sabia nem onde enfiar a minha cabeça com medo de que acontecesse algo com o Mark e/ou com o Beau, sei lá! É imprevisível. Entrei em desespero. Talvez muita gente não se sinta como eu me senti, mas é verdade. Eu me envolvi bastante.

Os capítulos são intercalados: um do Mark, em primeira pessoa; e um, que se passa em sua cidade, Wenatchee, da situação de sua família e de Jess, em terceira pessoa. Essa mudança foi bem marcada com a mudança de cores do início do capítulo - uma hora a maior parte preta, em outra a maior parte branca -, o tamanho da letra, o uso do itálico, o 1/2 que era colocado no início de cada capítulo em primeira pessoa... enfim, não dava para se confundir. As páginas são amareladas, a diagramação ficou excelente, espaçamento, tamanho da letra em ambos os capítulos, tudo. Não me lembro de ter encontrado erros grotescos e nem muitos errinhos. E a capa, ah, eu achei um amor! Tem bastante a ver com a história e veio de uma parte bem importante.

Incrível. Simples. Emocionante. Escrito de uma maneira bela e tocante, Dan Gemeinhart criou, em A Mais Pura Verdade, personagens cativantes e trechos sinceros. Assim que terminei, tive vontade de ler tudo novamente. Essa é a mais pura verdade. Não conseguia encontrar palavras para o que eu estava sentindo, e até hoje não consigo. É uma mistura de emoções loucas e inexplicáveis. E lágrimas. É um livro tão simples e, ao mesmo tempo, tão complexo... No início você pode pensar que é só uma história, mas é quando você está no fim que você vê, é aí que o autor joga a reflexão da vida no meio da sua cara. Muito, muito intenso.

Ah, só para não deixar em branco, quero dizer que não é porque ele tem câncer que é um livro do tipo "A Culpa é das Estrelas", "Um Amor Para Recordar", "Antes de Morrer" ou qualquer outro. Achei-o um tanto quanto diferente. Fala sobre o amor de um jeito diferente, mas o principal não é o amor, é a vida e todas as suas complicações.

Book Trailer


Batalha de Capas

 

Para você, qual das duas capas é a melhor? (Devido a problemas com html, o blog precisou parar de colocar enquetes de verdade nas batalhas de capas, então, para "votar", deixe seu comentário.)

Espero que tenham gostado da resenha! Eu não sabia muito bem como escrevê-la.
E então, o que achou? Deixe sua opinião nos comentários.
Beijinhos e até mais!

Karoline Melo

9 comentários:

  1. Hey karol, tudo bem?
    Li as primeiras 95 páginas desse livro na amostra que recebi da editora Novo Conceito. E estou completamente apaixonada pelo Mark e pelo Beau ♥.
    Gostei muito de tudo nesse livro, a história, os personagens, a narrativa! Outra coisa que adorei foi a diagramação da Novo conceito que está incrível como sempre.
    Achei a história de uma simplicidade muito bonita, a relação entre a criança e o animal é tão linda! Espero em breve adquirir o exemplar e poder da continuidade nessa leitura.
    Eu prefiro e voto na capa brasileira! Achei bem mais bonita :).

    Beijão ;*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  2. Hey Karol,
    Eu adorei sua resenha <3 Eu gostei muito desse livro e especialmente por ele querer dizer tanto em uma linguagem tão simples. É diferente dos clichês aos quais estamos acostumados. Fico feliz que você gostou dele *----* Eu confesso que por não gostar de cachorros, devo ter perdido um pouco da intensidade que Dan queria colocar na amizade dos dois kkkkk, mas de resto, esse livro mexeu comigo e me fez pensar.

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Todo mundo falando desse livro e eu ainda não tive tempo de ler. Estou interessada no enredo, mas como é um livro que tá sendo muito comentado e já está na minha estante, estou adiando a leitura para um momento onde eu possa dar completa atenção pra ele. Mas confesso que estou ansiosa, principalmente por causa da escolha de narrativa do autor, que me deixou muito curiosa em relação ao livro.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Karol!
    Pelo jeito todo mundo se encantou com esse livro. Eu simpatizei com a premissa, mas não é uma das minhas prioridades de leitura.
    Quando temos tanta dificuldade de explicar porque um livro mexeu tanto conosco, como aconteceu com você, é que sabemos o quanto ele é especial, não é?
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Karol!
    Realmente as comparações com outros livros do gênero foram muitas, mas como você disse, não tem nada a ver com as outras histórias.
    A história de Mark é simples e ao mesmo tempo intensa, essa é a mais pura verdade!
    Me encantei com sua amizade com Jessie, e a lealdade de Beau, além de sua coragem e determinação diante de todas as situações que passou.
    Com certeza é um livro que todos deveriam ler!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  6. Hey, Karol!
    Não consegui ver a história do mesmo ângulo que tu, mas mesmo assim gostei dela. Mark é um personagem forte e determinado, que não perdeu isso mesmo depois de tudo que aconteceu ao decorrer da história.
    O final foi muito emocionante e eu me senti muito surpreendida. Entre estas capas, eu prefiro a original, acho a brasileira muito feia, mesmo que tenha a ver com a história.
    Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  7. Essa história é incrível, né?! E realmente bem diferente de todos os outros livros! Gostei muito dos questionamentos relacionados a morte e concordei com grande parte do livro, menos com o final, que foi beem decepcionante!
    Beijos!
    http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
  8. Oie Karol! :D
    Posso dizer que senti o mesmo medo que o teu quando a viagem do Mark e do Beau iniciou, era tudo tão assustador e inesperado, eu ficava torcendo o tempo todo por ele e com medo do que poderia acontecer, mas mesmo assim não conseguia pensar que ele deveria voltar para casa.
    Algo que senti nesse livro e que tem uma forte ligação com a história é que eu não deveria chorar, segurei todas as minhas lágrimas até concluir a leitura e tudo isso porquê o Mark não gostava disso, que as pessoas chorassem por causa dele, acabei tão tocada pelos pensamentos dele que não consegui chorar e me obrigava a segurar as lágrimas.
    Como Você achei que esse livro é totalmente diferente de outros que li sobre o mesmo tema, uma leitura ótima! <3

    Beijos e até logo! ;)
    https://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Quase esqueci de votar! kkkkk
    A capa brasileira com certeza! <3

    ResponderExcluir