O Caminho das Borboletas

Olá, leitores! Como vão?
Tinha feito um post de parceria (até postei), mas achei enjoativo só parcerias e mais parcerias, então o guardei para mais tarde e resolvi colocar mais um de meus textos, (se bem que isso parece mais um poema em prosa, se é que isso existe), só para não perder o costume.
Espero que gostem.


O whatever a seguir foi escrito/criado por Karoline Melo de Oliveira. Cópia é crime. Caso queira publica-lo em outro lugar, favor deixar um comentário e colocar os devidos créditos. Grata.



Quando crescer ou não tiver nada para fazer, seguirei o caminho das borboletas em direção ao oceano. Sobrevoarei as montanhas e pousarei nas flores, apenas com o olhar. Decorarei cada um de seus caminhos até me cansar.
Indo rapidamente, cada vez mais alto e mais longe, como se tudo fosse acabar. Aproveitando cada momento, conversarei com o vento e não olharei o tempo. Não posso parar.
Baterei minhas asas, fugirei de casa, me tornarei livre para voar e voar. Cada vez mais longe, cada vez mais alto...
Pousarei numa sombra para descansar. O dia está terminando, tudo está acabando e a chuva logo chegará.
Voo um pouco mais baixo, no mesmo caminho que, um dia, as borboletas fizeram. Voltarei para casa e tudo terá valido a pena, pois, pelo menos por um dia, eu segui e voei no caminho mais belo de todos.


Sobre o meu whatever - ou poema em prosa, sei lá -, bem, a conjugação dos verbos foi proposital; quis passar a sensação de que ela não estava fazendo nada e decidiu voar, talvez seguindo mesmo o caminho, lendo ou imaginando. Quem decide como isso aconteceu é o leitor. A repetição de "longe e alto" foi para mostrar que ela realmente estava viajando. O uso do gerúndio em histórias não é legal, eu sei, mas, afinal de contas, o poema é de quem? E eu gostei.

O que acharam? Se expressem nos comentários.
Até a próxima!

P.S. Por que borboletas? Bom...


Desejo concedido, Ron.

Karoline Melo

8 comentários:

  1. Adorei, rsrsr
    Principalmente a coisa da borboleta rsrs
    Bjos

    Rafa Melody
    http://rafaacarvalho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente!
      A borboleta é uma coisa, viu! hahaha
      Beijos.

      Excluir
  2. Amei seu poema, super lindinho
    E eu ri com a última foto, Ron hahahahah

    bjs
    www.like-a-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, muito obrigada, sweet! ^^
      Quando terminei de digitar, pensei nessa parte do filme, então... hahahah achei legal compartilhar.
      Beijos.

      Excluir
  3. Adorei seu whatever ou poema em prosa kkkkk lindo lindo
    me imaginei voando na hora que estava lendo
    e a ultima foto do ron... perfeita kkkk
    bjus
    Isis
    minhaestantecolorida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente por ter gostado do whatever; acho que é uma revolução para os textos sem gênero... ou poemas em prosa hahahha
      Sério? Era exatamente o que esperava! Tentei dar asa as pessoas quando decidi postar aqui.
      Ron e seu medo de aranhas hahah Tive que colocar a foto, foi inevitável.
      Beijos.

      Excluir
  4. Oi, Karol.
    Gostei muito do texto. Escreve bem ^_^
    Essa cena do Rony é épica rsrsrs
    Bjos
    Su - Bem pra Mente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Su!
      Muitíssimo obrigada *-* Muitos anos de prática para conseguir chegar ao "bom" da escrita hahah.
      Realmente, mais épica, quase impossível!
      Beijinhos.

      Excluir